Por dentro...

Aquilo que os olhos não vêem, e o coração não sabe se sente.

Jul 5

Quem vai te abraçar?
Me fala quem vai te socorrer
Quando chover e acabar a luz
Pra quem você vai correr?
E quem vai me levar
Entre as estrelas, quem vai fazer
Toda manhã me cobrir de luz?
Quem, além de você?


Jun 26

Eu te acho idiota.

Aliás, tenho certeza.

Não sei como consegues ficar longe de mim, dos meus braços.

Hei, eles são teus!

Não percebes?

Acorda!

O que preciso fazer para te ter sempre? Me diga.

O que eu não suporto é tua ausência.

Falta.

Vem. Volta.

E nunca mais pense em sair de perto de mim!


Jun 9

Por aí…

"Aí ele chega, tão lindo. E vai embora, tão feio. E liga, tão bobo. E some, tão especial. E eu morro, ainda que não ligue a mínima. E eu não tô nem aí, ainda que pense o tempo todo em não estar nem aí."


Jun 6

- Vai rever as rosas, disse a raposa. Tu compreenderás que a tua é a única no mundo. Tu voltarás para me dizer adeus, e eu te farei presente de um segredo.

Foi o principezinho rever as rosas:

- Vós não sois absolutamente iguais à minha rosa, vós não sois nada ainda. Ninguém ainda vos cativou, nem cativastes a ninguém. Sois como era a minha raposa. Era uma raposa igual a cem mil outras. Mas eu fiz dela um amigo. Ela á agora única no mundo.

- Sois belas, mas vazias, disse ele ainda. Não se pode morrer por vós. Minha rosa, sem dúvida um transeunte qualquer pensaria que se parece convosco. Ela sozinha é, porém, mais importante que vós todas, pois foi a ela que eu reguei. Foi a ela que pus sob a redoma. Foi a ela que abriguei com o pára-vento. Foi dela que eu matei as larvas (exceto duas ou três por causa das borboletas). Foi a ela que eu escutei queixar-se ou gabar-se, ou mesmo calar-se algumas vezes. É a minha rosa.


Aqui, a tristeza é infinita.

Nó na garganta. Pensamento fixo.

Aguardo pelo desfeixo dessa história, que na minha vida já tem ‘The End’.


Jun 4

Tudo o que quer me dar,

É demais.

É pesado.

Não há paz.

Não tem mais jeito.

Acabou.

- Boa sorte.


Jun 2

'Nessa nossa disputa
Nesse seu jeito bom
Eu não quero saber
Você vai desdenhar
E vai sofrer

Você [não] vai me destruir
Como uma faca cortando as etapas
Furando ao redor
Me indignando, me enchendo de tédio
Roubando o meu ar
Me deixa só e depois não consegue
Não me satisfaz

Está acabando o amor
Você já não me pertence
Eu sinto por aí
Você não está comigo

Nessa nossa disputa
Nesse seu jeito bom
Eu não quero saber
Você vai desdenhar
E vai perder

Você [não] vai me destruir
Como uma faca cortando as etapas
Furando ao redor
Me indignando, me enchendo de tédio
Roubando o meu ar
Me deixa só e depois não consegue
Não me satisfaz’


Jun 1

Paixão… nunca vá embora!

Quantas madrugadas já passei de longe só te admirando, imaginando… o cheiro do seu corpo?
Quantas vezes na balada lá estava eu te desejando, babando, quase louca?
Hoje tive tudo a meu favor deu tudo certo, a flecha da paixão lancei de perto. Foi certeira, matadeira, dominou…
Hoje nem que a gente se derreta de calor, hoje a gente vai fazer amor a noite inteira, vai ser fogueira, incendiou.


Paixão bandida, valeu a pena esperar tanto assim,
Paixão sofrida, o tempo foi pedir você pra mim
Paixão fogosa, que quer fazer amor a toda hora
Paixão gostosa, paixão gostosa nunca vá embora

Nunca vi mais piegas, mas foi exatamente assim, numa exata sexta-feira. Lembra?


May 26

Amor


“Amor, então,
também, acaba?
Não, que eu saiba.
O que eu sei
é que se transforma
numa matéria-prima
que a vida se encarrega
de transformar em raiva.
Ou em rima.”

Paulo Leminski

- Quanto a mim, não sei o que se passa. Ando meio perdida. Fazendo coisas que me soam estranho. De tanto querer, me atrapalho. Sei lá. Que não seja necessário compreensão. Quero consertos, concertos, viver e ser feliz.


May 20

Apesar das reticências. Apesar de algumas lágrimas já terem caído, apesar de já ter sentido egoísmo e hostilidade.


Page 1 of 5